quarta-feira, 12 de abril de 2006

Crescer x "virar adulto"

[post desabafo]

No texto de ontem, Glitter falou de dois pontos
importantes: o foco e a saudade. Tomo a liberdade
de usar essas duas categorias para uma outra análise,
uma breve auto-exegese.
Meu foco ainda é um tanto nebuloso,
sei algumas coisas que gosto, sei o que odeio,
mas ainda não defini muito bem
como e o quê vou fazer.
Estou/sou um pouco perdida, queria fazer muito,
há pouco tempo, gosto de tantas coisas
que ás vezes perco a noção...
Queria fazer mais e queria ter mais dias de folga
pra pensar somente no que interessa.

Ando me sentindo incomodada com o tempo.
O tempo tem fugido de mim, voando
e fico com aquele medo de não viver a plenitude,
de postergar para amanhã o hoje.
E perder, perder repentinamente a batalha
e ver que nada daquilo é o que parece.
Já perdemos tanto no ano passado,
mães, pais , amigos, todos arrastados
para o vale desconhecido.
Tenho sentido uma certa dose de opressão,
por andar na estreita linha do excesso de compromissos
que somos "obrigadas" a cumprir versus
o que verdadeiramente desejamos.

Ah, o desejo, ele é traiçoeiro.
Me faz querer coisas, que no momento não posso.
"Chutar o balde da barraca",
lembram desse ditado barbiano?
Eu deveria estar bem mais animada,
afinal na próxima semana embarco
para mais um desafio internacional.
Mas ainda não consegui me animar,
devido a essa mesma falta de foco
e a probleminhas burocráticos
que tiram qqer um dos nervos.
E à saudade, que insiste em bater,
saudade de momentos preciosos...

Antes que eu escreva demais, só quero comentar
um artigo que saiu na NY Magazine,
eu já comentei no meu blog.
É sobre o novo fenômeno da geração de 30 anos
nos EUA, que continua ouvindo rock alternativo
(saindo á noite, até mesmo os que tem filhos)
e se vestindo como se tivesse na casa dos 20.
Uma coisa que me chamou a atenção foi o fato
de que vários entrevistados disseram ter
abandonado empregos opressivos,
afirmam que preferem um dia de folga em vez de aumento
e que suas bandas favoritas no iPod
são as mesmas da molecada tipo
Arcade Fire, Strokes, Death cab for cutie, Bloc Party, etc.
Eles tb preferem tênis aos sapatos
e jeans de grife e camisetas a ternos (homens e mulheres).
Mas isso é só a ponta do iceberg...rs
e vou encerrar tentando apontar um desfocamento...
questionados a respeito do futuro,
eles não possuem a menor idéia
do que estarão fazendo em 10 anos,
mas gostam de suas vidas do jeito que elas estão.

Talvez para acharmos o foco
estejamos necessitando tirar a lente
do que vemos no cotidiano,
talvez a gente precise ficar um pouco cego
(como no filme janela da alma)
ou um pouco mais criança.
Afinal, crescer sim, "virar adulto, jamais"!
bjos pra todas, mando news da Espanha.

Altern8

5 comentários:

Tekhnè disse...

Adri querida...que lindo oque você escreveu..estamos no mesmo barco ou quer dizer, no mesmo transatlântico, :)
boa viagem, te diverte e faz contatos. Pelo menos as Barbies estaram representadas...conta tudo depois,ok!

Tekhnè disse...

quem escreveu fui eu Glitter, ador me chamar assim, dá ânimo!!!

Tekhnè disse...

Prefiro minha vida de adulta do que a de estudante e adolescente, pois tenho autonomia (emocional e financeira)para fazer tudo o que eu quero. Minha vida é bem melhor agora. Eu só queria mais tempo com os amigos. Ah, e aquela coisa de utilizar 20% do tempo de trabalho, no trabalho, para fazer uma coisa que não tem nada a ver na empresa, tipo Google, desenvolver projetos aleatórios. Isso seria tão bom para a exercitar a criatividade...Bjs, S*

Tekhnè disse...

Já sei girls. Barbies 3.0 (or almost),
Estamos todas passando pela mesma crise. E também pensando o que fazer pós Doutorado (seria uma idéia!!!)Maybe. Menos eu, que ainda tenho que acabar a minha tese. E tem o lance dos maridos, casa, familia, filhos, roupas, viagens, musicas, bandas, etc. Many things to think about!! Mas o que a gente quer mesmo é curtir a vida adoidado. O que de fato nós fazemos com muito afinco.Temos que promover um encontra do EPA (ao som de Ricky Martin) urgente. Assim que eu retornar para uma terapia coletiva reagada a muito vinho, é claro!!!Enquanto nao chega esse dia, vcs vao me abastecendo de posts e e-mails. Aproveita bem a Spain Adri!! E as garotas have fun no Maranhão.
Um beijao,
Paula

Adri Amaral disse...

Paulinha q bom q escreveste, miss you all babies...bjao