quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

The Cult of the Amateur


O título do livro sugere que o autor, Andrew Kenn, gosta da idéia. Mas não. O palanque digital da Meio Digital, publicação digital e impressa da Meio e Mensagem, diz que o analista, consultor e escritor supracitado vê a internet como povoada por amadores que ameaçam a cultura e o conhecimento e que hoje qualquer idota vira um gênio. Não precisa nem dizer que ele odeia a Wikipedia. Ao que parece, essa é a polêmica da vez. Ai, não dá vontade nem de argumentar que:

1) idiotas "viram gênio" também fora da internet e, portanto, isso não é privilégio do meio e exige uma contextualizada cultural;
2) by the way, o que ele considera gênio? Alguém que tem popularidade? Ele tá precisando rever seus conceitos, com o que voltamos ao contraponto 1;
3) boa parte, senão tudo, que temos de bom em termos de conhecimento hoje resulta de alguma forma da cultura colaborativa.

E isso só para começo de conversa. A primeira coisa que eu pensei é que ele deve ser consultor da Microsoft. Na verdade, isso poderia ser uma polêmica lá em 2001. O pior, é que apesar da maioria das pessoas não concordarem com ele, tem bastante gente que votou a favor. Medo!Indignem-se aqui.

4 comentários:

falc4o disse...

naquele circulo de palestras "alem das redes de colaboracao" (acho que era assim), vi um cara falando, em natal (nao lembro o nome dele agora), em que ele dizia assim: "a escrita tah aih ha milhares de anos, e ser escritor ainda eh uma posicao relativamente privilegiada".

nao eh porque simplesmente o acesso existe que a posicao do 'amador' supera a do 'profissional' - e essa discussao eh tao batida que ateh surpreende ver um livro com esse tipo de opiniao ser lançado. eh aquela coisa: quando a fotografia surgiu, a pintura ia acabar - quando o cinema surgiu... e assim por diante.

Tekhnè disse...

Com certeza, Falcão. Em outras palavras, surgem novas profissões e as outras se transformam com matizes novas.
Participei em POA de um seminário de cultura colaborativa (não pude ir no Além das redes que teve aqui tb). Pô, nesse mundo colaborativo o que mais tem são bons profissionais. O Fabrício, das Ciências Sociais, e do movimento software livre, mostrou um site que mostra quem usa Linux. Dos sites mais acessados no BR, segundo o Alexa, só o MSN não usa. Tava lá: Google, G1, Uol e por aí vai. Se fosse ruim, não funcionaria. Só isso. Eu acho que, como esse cara não tem nada novo para falar, ele deve estar indo numa contracorrente só para chamar a atenção. E deve ter apoio de todos os softwares proprietários. S*

Alice disse...

E a gente esperando novas polêmicas, que, afinal, geram novos contrapontos... Bem, de qualquer forma, conte minha "nova" velha indignação de sempre contra esses (pre) conceitos. : )

Dr. Smith disse...

Em primeiro lugar, esse "celacanto" quer é provocar maremotos e ficar famoso fácil...
Em segundo, quando ele menciona os idiotas deve ser à ele que ele deve estar se referindo em primeiro lugar e terceiro, ele está agindo da mesma maneira que PTs e outros bichos, querendo mesmo é "censurar" e "limitar" o acesso à internet àqueles que ele chama indevidamente e grosseiramente de idiotas, bem que meu antivírus apitou quando eu entrei no site dessa besta do Apocalipse cibernético! Oh Deus, oh vida, oh dor!