domingo, 4 de março de 2007

Quarteto fantástico

"Amigo - É a partilha da alegria, não do sofrimento, o que faz o amigo".
Friedrich Nietzsche, em Humano, demasiado humano. Um livro para Espírito Livres

A primeira vez que eu pensei sobre isso foi quando ouvi uma pessoa falando que é na dor que ela se mostra uma verdadeira amiga. O problema é que essa pessoa curte mais a dor, o peso, as coisas difíceis, do que as coisas livres, leves e soltas. Uma daquelas pessoas que ressalta como a vida dela é dura e como, mesmo assim, ela consegue viver. De fato, para um mundo cristão marcado pela culpa, a alegria, a beleza, a energia, a vida, enfim, pode parecer quase uma heresia, fora da ordem natural das coisas. Fico muito feliz de perceber que estou do outro lado. E que Nietzsche concorda comigo. E que tem mais pessoas neste outro lado comigo. Pessoas que são capazes de propor comemorações, com motivo ou não, só para relaxar, só para celebrar a vida. Pessoas capazes de fazer uma supresa linda para mim, com flores, presentes, chocolate, cartão e muita torcida por uma nova fase muito especial da minha vida. E isso tudo depois de um dia quente, muuuuuito quente e úmido, "com mais de nove horas de trabalho". Na minha modesta opinião, é para isso que a gente vive: para amar e ser amado. Paula, Paulinha e Humberto, muito obrigada por existirem na minha vida. Henrique, seja bem-vindo.

3 comentários:

Paula Puhl disse...

Minha grande amiga....adoramos preparar cada detalhe, pena que o calor não ajudou, mas o que vale é que somos espíritos livres para amar e sermos muito felizes, mesmo que, muitas vezes, o universo não ajude. Mas temos que ter esperança e principalmente amigos.Eo quarteto fantástico pode ser chamado em qualquer momento disso eu tenho certeza.

Adriana Amaral (Lady A.) disse...

ta certo sao um quarteto ai, mas tem eu aqui que faço parte mas estou fisicamente longe... bjos e toda sorte do mundo

Sandra disse...

Obrigada, gurias! Amo vocês. Bjs,