segunda-feira, 27 de fevereiro de 2006

Manderlay

Ontem, revi Manderlay(2005), de Lars von Trier, filme que sucede Dogville(2003) em uma trilogia que ainda não foi concluída. Eu considero esse filme melhor do que o Dogville: tema e abordagens originais e extremamente complexas sobre comportamento social, assim como em Dogville, mas centrado na posição dos negros nos Estados Unidos. A tese é de que numa situação de opressão, seja ela qual for, opressores e oprimidos estabelecem uma espécie de pacto. E quem tenta mudar isso, quase sempre, quebra a cara, porque não se sabe exatamente quem está no comando da situação. Filme ácido, com um texto exato, suficiente, irônico, sarcástico. "Trabalharam toda a madrugada com a determinação que se costuma demonstrar em presença de metralhadoras". Sabe aquela sensação que se tem de estranhamento quanto a um assunto e que ainda não se teve condições de elaborar o suficiente? Pois é, daí de repente, vem um diretor e roteirista dinamarquês e resolve tudo com a sutileza de um soco no estômago. Enfim, um filme que eu gostaria de ter feito. Beijos, Sandra

2 comentários:

Adri Amaral disse...

ah, eu gostei mais de dogville, se bem q manderlay vai mais fundo na ferida.. as relações q eu faço são muito com as posições políticas típicas dos norte-americanos liberais vs republicanos, pelo menos minha visão foi muito nesse sentido qdo. vi plea primeira vez. ainda não revi a segunda pra pensar melhor. bjos

Tekhnè disse...

Preciso ver este filme.. já ouvi várias coisas sobre ele, quem sabe retiro no carnaval.
Bjinhos